Volume
Rádio Offline
Redes
Sociais
Comissão aprova projeto que cria política de atenção integral às vítimas da Covid-19.
14/06/2022 06:16 em Saúde

PROJETO APROVADO PELA COMISSÃO DE EDUCAÇÃO DA CÂMARA BUSCA AMPARAR PESSOAS VITIMADAS PELA COVID-19. SAIBA COMO COM O REPÓRTER SILVÉRIO RIOS.

A Comissão de Educação da Câmara aprovou (em 1º/6) projeto que cria uma política de atenção integral às vítimas e aos familiares de vítimas da Covid-19 (PL 1820/21). O objetivo é assegurar a plena recuperação de pacientes que tenham ficado com sequelas físicas da doença e amenizar impactos sociais decorrentes da pandemia.

A proposta prevê proteção especial para crianças e adolescentes órfãos da pandemia. As ações devem assegurar o acompanhamento psicossocial e de saúde, o fortalecimento de vínculos, o desenvolvimento como pessoa e o acolhimento em famílias.

A relatora da proposta na comissão, deputada Tabata Amaral (PSB-SP), destacou que, além das sequelas em pontos ligados ao aprendizado, como a memória, muitas crianças perderam os pais em decorrência da Covid-19. A parlamentar defendeu a necessidade da criação de uma política específica também por causa da falta de ação do Ministério da Educação durante a pandemia.

“A gente sabe quem pegou Covid, até hoje, lida com sequelas graves, como é o caso do efeito na memória das pessoas, por exemplo. Mas a gente sabe também que são milhares de crianças que ficaram órfãs por causa do falecimento de seus e que a gente está falando de várias consequências. Foram quase 2 anos de escolas fechadas, com grande aumento de evasão escolar. Uma perda de aprendizagem que foi se acumulando, e, nesse período, infelizmente, a gente não pode contar com o MEC, dando diretrizes, dizendo aos secretários estaduais e municipais como poderiam enfrentar essa crise”.

O deputado Tiago Mitraud (Novo-MG) votou contra, por considerar que a proposta deveria ser mais abrangente. Ele acredita que, por isso, o texto precisa de aprimoramentos.

“Uma política nacional como está sendo proposta aqui tem que, ao mínimo, deixar claro quais são os objetivos dessa política pública e como o seu sucesso vai ser mensurado ou não. Se não, a gente vai, simplesmente, aprovar um projeto que tende a ser inócuo, que não vai ser regulamentado, que não vai ter efetividade depois. E aprovar um projeto só por aprovar”.

O projeto que cria uma política de atenção integral às vítimas de Covid-19 ainda precisa passar pelas comissões de Seguridade Social e Família e de Constituição e Justiça. Se aprovado na Câmara, deve seguir para o Senado.

 

Da Rádio Câmara, de Brasília, Silvério Rios.

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!